Funeral de jornalista da Reuters em Gaza reúne centenas de pessoas

Centenas de pessoas, entre elas jornalistas, compareceram nesta quinta-feira ao funeral de Fadel Channa, jornalista da agência de notícias britânica Reuters morto na quarta-feira por um disparo israelense na Faixa de Gaza.

AFP |

O caixão foi coberto com uma bandeira palestina e em um local próximo foi colocado sua câmera, em pedaços, e seu colete à prova de balas, ainda ensangüentado. Outros levavam um retrato do repórter, de 23 anos.

"Não ao assassinato de jornalistas", "os jornalistas vão continuar seu trabalho", "o assassinato de Fadel é uma cicatriz no rosto da ocupação", podiam ser lidos em cartazes em árabe e em inglês.

Vários políticos do movimento islamita Hamas, do partido Fatah do presidente palestino Mahmoud Abbas e de outras facções palestinas também assistiram ao funeral.

Segundo a Reuters, Fadel Chanaa havia saído de seu carro para filmar um tanque que participava das operações militares israelenses no centro da Faixa de Gaza.

As imagens gravadas pelo jornalista alguns segundos antes de sua morte mostram o tanque em chamas. "Dois segundos depois, aparece fumaça ao redor do canhão, e a filmagem fica completamente negra, aparentemente no momento em que Chanaa é atingido", assinala a Reuters.

O veículo em que ele estava possuía adesivos com "TV" e "Press" (Imprensa), acrescentou.

Dezoito palestinos, incluindo Chanaa, e três soldados israelenses, morreram na quarta-feira nas operações do Estado hebreu na Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas.

Segundo uma investigação da organização israelense de defesa dos direitos humanos B'Tselem, o jornalista foi vítima de um obus de tanque do tipo Flechette, com uso proibido.

az-mel/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG