Funerais das vítimas do terremoto na Itália têm oração do Papa

A Itália celebrou nesta sexta-feira os funerais das vítimas do terrível terremoto que deixou quase 300 mortos em LAquila, capital da dor de um país em luto onde a terra continua tremendo, com a leitura de uma mensagem do Papa Bento XVI.

AFP |

Um pequeno caixão branco de criança colocado sobre o de sua mãe: esta imagem ficará como comovente símbolo destes funerais, cinco dias após o tremor de terra mais violento da Itália em 30 anos.

Uma mensagem do Papa, que se juntou ao "luto dos que choram", foi lida antes do início da missa assistida por cerca de 5.000 pessoas ao lado dos mais altos responsáveis do Estado italiano, em particular o chefe do governo Silvio Berlusconi, visivelmente muito emocionado.

"Eu me sinto espiritualmente próximo de vocês para dividir esta angústia e pedir a Deus o descanso eterno" dos desaparecidos, disse Bento XVI em sua mensagem.

Aproximadamente 200 caixões estavam dispostos em quatro longas fileiras no amplo pátio da escola militar, um dos raros edifícios poupados pelo terremoto que deixou ao menos 289 mortos.

"Este dia é um caminho de cruz para cada um de nós", disse a presidente da província, Stefania Pezzopane, enquanto católicos celebram nesta sexta-feira a Paixão e morte do Cristo na Cruz.

Diante dos caixões, o número dois do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone, celebrou a missa antes de benzer os corpos.

"É com imensa piedade que envolvemos com nossos pensamentos as inúmeras vítimas tiradas tão cedo de suas famílias por uma morte cruel e todas as famílias que ficaram sem casa e privadas de seus bens", declarou o cardeal Bertone em sua homilia.

Excepcionalmente, o Vaticano autorizou a celebração de uma missa numa Sexta-Feira Santa, dia em que não se realiza a celebração segundo a tradição católica.

As bandeiras foram colocadas a meio mastro em todo o país, que praticamente parou na hora dos funerais coletivos, fazendo um minuto de silêncio em inúmeros lugares, inclusive em todos os aeroportos.

Os tremores continuam desde o terremoto de segunda-feira. O mais forte foi registrado nesta sexta-feira, às 05h22 hora local (03h22 GMT), de uma intensidade de 3,9 graus na escala Richter, segundo o canal de televisão Sky TG24.

O terremoto, o mais violento dos últimos 30 anos na Península, deixou milhares de desabrigados.

bur-fmi/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG