Fundador da guerrilha maoísta indiana morre aos 78 anos

Nova Délhi, 23 mar (EFE).- Kanu Sanyal, líder da guerrilha maoísta da Índia e um de seus fundadores, morreu hoje aos 78 anos.

EFE |

Segundo agências de notícias indianas, Sanyal foi encontrado pendurado em casa no distrito bengali de Siliguri. Embora a autópsia ainda não tenha sido feita, a Polícia trabalha com a hipótese de suicídio.

Sanyal foi um dos pais da revolta de Naxalbari (1967), que veio acompanhada da cisão de um grupo de intelectuais do Partido Comunista Marxista (TPI-M) e o batismo 'de fato' da guerrilha, que dois anos mais tarde adotaria formalmente o nome de Partido Comunista da Índia Marxista-Leninista (TPI M-L).

Junto a Charu Majumdar, Sanyal moldou a ideologia dos naxalitas, como são conhecidos os maoístas na Índia, e tentou liderar os rebeldes apesar de seu precário estado de saúde e de sua passagem na prisão.

Após a morte de Majumdar, Sanyal ficou preso entre 1970 e 1977 e o movimento naxalita, sem um líder.

Apesar de nunca ter abandonado o discurso contra a "democracia burguesa", durante os últimos anos Sanyal criticou a violência empregada pelos rebeldes, que controlam amplas faixas do centro e do leste da Índia.

"Sanyal será lembrado como um dos melhores líderes do movimento naxalita", disse um de seus companheiros da rebelião de Naxalbari, Azizul Haq. "Mesmo doente, nunca foi a um hospital público para receber tratamento. Dizia que não podia pedir ajuda do Estado contra o que estava lutando", lembrou.

O TPI-M, abandonado pelos maoístas por ser tachado de colaboracionista, lamentou hoje a morte do líder e destacou seu desacordo com a atuação dos naxalitas atualmente.

Segundo o Governo indiano, a violência maoísta foi responsável pela maior parte das mortes de civis no país nos últimos anos - em 2009 morreram 591 civis, 317 membros das forças de segurança e 217 insurgentes -, acima das vítimas do conflito na Caxemira.

"Sanyal dizia que a linha seguida pelos maoístas não concorda com o entendimento revolucionário adotado quando o movimento naxalita começou", disse o político comunista Sitaram Yechuri, membro da cúpula do TPI-M e governador do estado de Bengala.

Durante os últimos anos a austera figura de Sanyal, afligido por problemas de saúde, se transformou mais em um ícone ideológico para os maoístas que em um guia para a luta armada. EFE amp/pb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG