Bogotá, 31 jul (EFE).- Julen Madariaga, fundador e membro da primeira direção da ETA, expressou hoje sua rejeição aos últimos atentados cometidos pelo grupo terrorista na Espanha na cidade de Burgos e na ilha de Mallorca, em uma entrevista a uma rádio colombiana.

"Desaprovo totalmente o que aconteceu em Burgos e em Palma", disse Madariaga, que tomou distância da ETA há anos.

"Perante fatos assim me encontro mal. Há muito tempo que ando militando para que as partes se encontrem", comentou.

Madariaga relatou que suas diferenças com o grupo começaram na década de 80, sobretudo pelos atentados "indiscriminados" cometidos com carro-bomba, um método que ele condena porque "não tem alma, olhos, orelhas".

Nos dois últimos dias, a ETA assassinou dois guardas civis e tentou causar um massacre com a colocação de um carro-bomba em uma casa-quartel em Burgos (centro). EFE mb/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.