México, 21 jul (EFE).- A violência contra a imprensa e a liberdade de expressão no México chegou a seu nível máximo com o assassinato de 17 jornalistas nos últimos 18 meses, 12 deles em 2008 e cinco neste ano, denunciou hoje a fundação Buendía.

A organização divulgou hoje o Relatório Buendía, um informe que registra desde 1990 os ataques contra jornalistas e veículos de imprensa.

O relatório destaca que, em 2008, se registraram 223 ataques contra a liberdade de expressão e informação, dos quais 85,1% foram agressões diretas contra jornalistas e o restante contra empresas de comunicação.

Do total de casos, 31,8% representaram agressões físicas, 21% corresponderam a ameaças e intimidações e 5,3%, assassinatos.

Em 2008 ocorreram 12 assassinatos, o maior número de homicídios de jornalistas nos últimos 15 anos no México.

Nos primeiros seis meses deste ano, o documento assinala 147 atos de agressão contra jornalistas e veículos de imprensa, entre eles cinco homicídios, seis processos, 32 ameaças e intimidações, 10 atentados, 46 agressões físicas e 14 detenções. EFE jrm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.