Fundação comemora libertação de reféns e pede às Farc que solte os outros 700

Bogotá, 1 fev (EFE).- A Fundação colombiana País Livre, que luta contra o sequestro, comemorou hoje a libertação de três policiais e um soldado que estavam em poder das pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e pediu a liberdade de 700 pessoas sequestradas por essa guerrilha desde 1996.

EFE |

A entidade privada elogiou a libertação dos policiais Walter José Lozano Guarnizo, Juan Fernando Galícia Uribe e Alexis Torres Zapata, e do soldado do Exército William Giovanni Domínguez Castro, que estavam sequestrados pelas Farc desde 2007.

A País Livre exigiu das Farc que não deem um tratamento discriminatório e pouco reflexivo ao tema da liberdade de alguns sequestrados e acrescentou que, segundo o fundo estatal Fondelibertad, "esta guerrilha, desde 1996 até maio de 2008, tem em seu poder cerca de 700 cativos, a que seus entes queridos também esperam".

A País Livre assegurou também que as Farc, de acordo com números da Polícia, cometeram 114 sequestros no ano passado.

"Cabe mencionar que o drama do sequestro não termina com a libertação, pois as consequências que deixa no ser humano são muito profundas", acrescentou a Fundação, que oferece ajuda às vítimas desse crime. EFE gta/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG