Funcionários públicos do Paraguai anunciaram nesta terça-feira que farão uma frente comum contra eventuais demissões em massa durante o governo de Fernando Lugo, que tomará posse no dia 15 de agosto, acabando com 61 anos de poder do Partido Colorado.

"Vamos conversar com os companheiros das distintas repartições públicas e nos organizar para fazer uma frente comum. É claro que tememos que o novo governo faça demissões", disse o sindicalista Adriano Ramírez.

O sindicalista admitiu que 60% dos funcionários públicos - cerca de 250 mil - pertencem ao Partido Colorado, derrotado no domingo por Lugo.

Lugo já adiantou que "os funcionários honestos seguirão no cargo e não têm o que temer".

O vice-presidente eleito, Federico Franco, disse que a nova administração "será implacável com os funcionários corruptos", ressaltando que "não tremeremos a mão para castigar os que tocaram o dinheiro do erário público".

Adriano Ramírez lembrou que há "uma lei do funcionalismo público" e que uma onda de demissões será ilegal.

hro/LR/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.