Funcionários do Judiciário da Colômbia iniciam greve indefinida

Bogotá, 3 set (EFE).- Cerca de 30 mil funcionários judiciais da Colômbia começaram hoje uma greve nacional indefinida, para exigir do Governo respeito ao Poder Judiciário e um reajuste em seus salários, disseram porta-vozes sindicais do setor em Bogotá.

EFE |

O vice-presidente da Associação Nacional de Funcionários da Área Judicial (Asonal Judicial), Gustavo Martínez, disse à Agência Efe que a chamada à paralisação de atividades foi acatada por 83% do pessoal da administração da Justiça.

Os cerca de 42 mil funcionários judiciais do país tinham sido convocados a esta greve, com a qual a Asonal Judicial quer que o Executivo do presidente Álvaro Uribe dê trâmite a um documento de pedidos de melhoras salariais e trabalhistas, que foi apresentado em novembro do ano passado.

Martínez destacou que a greve também tem como objetivo exigir que Uribe respeite a autonomia e independência do Poder Judiciário, que com freqüência recebe fortes críticas por parte do chefe do Estado.

"A família judicial se concentrou nos arredores de seus locais de trabalho", disse o vice-presidente da Asonal Judicial, após afirmar que a greve começou com a realização de assembléias informativas.

Segundo Martínez, a greve será acatada de maneira gradativa por outros milhares de funcionários de tribunais, conselhos e cortes judiciais, assim como seções da Procuradoria Geral. EFE jgh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG