Funcionários do Governo de Zelaya exigem que Micheletti pague seus salários

Tegucigalpa, 10 ago (EFE).- Dezenas de pessoas que trabalharam na Casa Presidencial durante o Governo do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, exigiram hoje o pagamentos de seus salário pelo Executivo de Roberto Micheletti, que não os admite.

EFE |

Os funcionários afetados protestaram em frente à Casa Presidencial com cartazes, para exigir que seus salários de julho e agosto sejam pagos, já que, segundo eles, não foram demitidos oficialmente e mesmo assim não são permitidos de entrar na sede do Governo.

Um porta-voz dos manifestantes explicou à imprensa que pelo menos 173 funcionários foram afetados, mas nem todos foram ao protesto.

"Estamos exigindo o pagamento de nosso salário de julho e de agosto, que já começou, porque continuamos sendo empregados da Casa Presidencial, porque em nenhum momento recebemos uma nota oficial de demissão", afirmou o porta-voz.

"Nenhum de nós tem o interesse de trabalhar com este Governo, somente estamos exigindo nossos direitos. (...) Desde o dia 28 de junho (quando o golpe de Estado tirou Zelaya do poder) fomos impedidos de entrar na Casa Presidencial", disse o porta-voz, que não se identificou, mas afirmou que trabalhava na seção de contabilidade do escritório da esposa de Zelaya, Xiomara Castro de Zelaya. EFE lam/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG