Funcionários da ONU exigem investigação independente de bombardeios de Israel

Genebra, 22 jan (EFE).- O sindicato que representa os funcionários da ONU em Genebra exigiu hoje uma investigação independente sobre os bombardeios realizados pelas forças israelenses na Faixa de Gaza, entre eles os lançados contra sedes das Nações Unidas.

EFE |

Os representantes dos funcionários pediram ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que compareça, se for necessário, ao Tribunal Penal Internacional para denunciar os crimes israelenses.

O Exército de Israel bombardeou no dia 6 de janeiro uma escola da Agência das Nações Unidas para a Ajuda aos Refugiados Palestinos (UNRWA, sigla em inglês), onde morreram mais de 40 civis que tinham se refugiado ali.

No dia 8 de janeiro um motorista de um caminhão da UNRWA que transportava ajuda humanitária foi morto também por um ataque israelense.

Em outros ataques, Israel bombardeou em 15 de janeiro o complexo da UNRWA em Gaza e em 17 de janeiro outra escola.

Em um dos ataques ficaram destruídas toneladas de alimentos e de ajuda internacional armazenadas pela UNRWA.

No total, nove funcionários da ONU foram mortos e 11 ficaram feridos nas três semanas que durou a ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza. EFE vh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG