Funcionários da GM voltam a trabalhar após greve de fornecedor

A General Motors Corp. começou nesta segunda-feira a chamar seus trabalhadores para voltar às fábricas que foram fechadas devido à greve de um fornecedor-chave, mas ainda levará uma semana para que o grupo retome sua produção normal.

AFP |

A produção da montadora americana foi reduzida em mais de 300.000 veículos desde o início da greve, no dia 26 de fevereiro, em um de seus principais fornecedores, a American Axle and Manufacturing Holding Inc.

As primeiras cinco semanas da paralisação, que durou quase três meses, custou à empresa 800 milhões de dólares, segundo a GM.

Mais de 30 fábricas nos Estados Unidos, Canadá e México foram afetadas pela greve, enquanto outras duas foram fechadas pelos sindicatos locais.

O sindicato dos trabalhadores chegou a um acordo com a American Axle na sexta-feira, cuja ratificação será votada na quinta-feira.

"Temos um plano de reativação. Mas isso vai depender de se o acordo com a American Axle será ratificado e quando", disse à AFP o porta-voz da GM, Dan Flores.

mso/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG