Funcionário líbio desmente notícia de que seqüetradores do avião foram presos

Um funcionário líbio desmentiu nesta quarta-feira a notícia veiculada pouco antes de que os seqüestradores do avião sudanês desviado para a Líbia com 100 pessoas a bordo teriam sido detidos, como afirmara o diretor da companhia aérea sudanesa Sun Air.

AFP |

"As autoridades líbias acabam de deter os dois seqüestradores do avião", havia indicado Mortada Hassan, diretor da companhia sudanesa de vôos domésticos sudaneses à qual pertence o aparelho seqüestrado na terça-feira.

A companhia enviará outro avião para o aeroporto militar líbio de Kufra, no sudeste da Líbia, para trazer os passageiros de volta ao Sudão.

Antes, todos os passageiros do avião haviam sido libertados pelos seqüestradores, que no entanto ainda mantiveram em seu poder os oito membros da tripulação.

O avião, um Boeing 737 de Sun Air, com 87 passageiros e oito tripulantes a bordo, foi seqüestrado pouco depois de decolar na terça-feira da cidade de Nyala, na província de Darfur, que enfrenta uma guerra civil desde 2003.

As autoridades informaram que os seqüestrados disseram ao piloto que pertenciam ao Exército de Libertação do Sudão (um movimento rebelde da região de Darfur), mas a informação não foi confirmada.

bur-afg-jm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG