Funcionário do governo chinês é executado após desviar US$ 18 milhões

PEQUIM - Um membro do alto escalão do Departamento de Habitação da China foi executado na Província de Hunan sob a acusação de ter-se apropriado ilegalmente de 120 milhões de iuanes (US$ 18 milhões).

EFE |

Segundo a edição desta sexta-feira do jornal oficial "China Daily", o réu era Liu Shubiao, de 46 anos, ex-diretor do departamento de subsídios e ajudas governamentais para habitação na cidade de Chenzhou.

A Justiça chinesa considerou Liu culpado de desviar mais de 120 milhões de iuanes, sendo que 100 milhões de iuanes acabaram nos cassinos de Macau.

Liu foi detido em 2005 e confessou seus crimes, que levaram as autoridades a confiscar os bens que possuía e a condená-lo à morte.

"No início, ganhei mais de dez milhões de iuanes (US$ 1,6 milhão). Pensei que apostar me daria mais dinheiro, mas estava errado", declarou Liu.

O governo chinês tem demonstrado preocupação com o aumento do descontentamento social no país e considera que a corrupção de alguns de seus quadros é o principal foco de insatisfação da população.

Por isso, o Estado lança campanhas periodicamente contra essas práticas e pune funcionários corruptos com frequência, incluindo com a pena capital.

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG