Uma funcionária que trabalhava na cantina de uma escola primária britânica foi demitida por contar aos pais de uma estudante que a menina fora vítima de agressão por parte dos colegas. Outros pais de alunos ficaram revoltados com a demissão da funcionária, e agora ameaçam tirar seus filhos da escola em demonstração de apoio a ela.

Carol Hill, que prepara e serve as refeições da escola primária de Great Tey, no leste da Inglaterra, interveio para por fim à brincadeira de mau gosto, em junho passado, quando a menina de sete anos foi amarrada por outras crianças e açoitada com uma corda.

A escola disse aos pais simplesmente que a garota havia se machucado em "um incidente" com uma corda.

Dias depois, a funcionária encontrou por acaso os pais da menina e fez um comentário sobre o episódio. Ela acabou sendo demitida por descumprir regras disciplinares da escola.

A instituição confirmou a decisão mas não quis dar detalhes do caso, alegando questões de confidencialidade entre empregado e empregador.

A decisão deixou indignados os pais da garota, que qualificaram a atitude da escola como uma tentativa de acobertar o caso.

Outros pais de alunos agora ameaçam tirar seus filhos do colégio em protesto pelo tratamento dado à funcionária.

"Temos cinco crianças matriculadas na escola, desde 1992. Eu frequentei essa escola, meus pais a frequentaram no início do século", disse à BBC um deles, Ivan Dyer.

"Seria triste tirar nossas crianças da escola, mas acho que podemos chegar a esse ponto, e sei que há vários outros pais de alunos considerando o mesmo."

Desde o episódio, Carol Hill tem evitado aparecer em público e está "desapontada" com a escola na qual trabalhou por oito anos, segundo declarações de seu marido à imprensa local.

Ela deu a entender que pretende apelar da decisão da diretoria dentro do prazo estipulado de dez dias.

A escola reiterou que sua prioridade é prover "a melhor educação possível" para seus alunos.

Leia mais sobre agressão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.