Fumaça em reator de Fukushima provoca retirada de funcionários

Nuvem de fumaça cinza foi observada na manhã desta segunda-feira

AFP |

Uma nuvem de fumaça cinza era observada nesta segunda-feira no reator número 3 da central nuclear de Fukushima, nordeste do Japão, o que provocou a retirada dos funcionários da usina, anunciou a empresa Tokyo Electric Power (Tepco).

"Às 15h55 (3h55 de Brasília), recebemos a informação da central que indicava que fumaça cinza saía do reator número 3. Ordenamos a retirada dos funcionários que estavam próximos", afirmou uma fonte da Tepco. O reator número 3 foi o mais afetado pelo terremoto e tsunami que devastaram o Japão no dia 11 de março. O teto do edifício foi completamente destruído por uma forte explosão na semana passada em consequência do acúmulo de hidrogênio.

O reator número 3 é o que mais preocupa as autoridades, já que o local contém combustível MOX, uma mistura de óxidos de plutônio e de urânio a partir de produtos reciclados, cujas partículas são consideradas mais nocivas que as do combustível com base de urânio.Mais cedo, o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, afirmara que a situação em Fukushima melhorava aos poucos.

Além disso, a Agência de Segurança Nuclear anunciou que a sala de controle do reator 2 da central de Fukushima pode ser parcialmente reativada nesta segunda-feira. "É possível que certos equipamentos possam funcionar hoje, como por exemplo o sistema de climatização e de ventilação, que tem filtros de carvão, o que contribui para bloquear as partículas e o iodo radioativos na sala de controle", afirmou uma fonte da agência. "Isto vai melhorar muito o ambiente de trabalho dos técnicos", completou.Instrumentos de medição da temperatura e da pressão também podem ser religados.

    Leia tudo sobre: japãoterremotousinanuclearfukushima

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG