Lima, 1 abr (EFE).- O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori voltou hoje a alegar inocência e disse que a história o absolverá das acusações de violação dos direitos humanos na política antiterrorista que aplicou em seu Governo, no tribunal onde está sendo processado em Lima.

"Ninguém pôde apresentar nem uma prova que me condene, porque não existe, porque sou inocente", disse Fujimori, cujo discurso na penúltima sessão do julgamento gerou grande expectativa.

O ex-presidente, que governou o Peru de 1990 a 2000, acrescentou que nenhuma das cerca de 90 testemunhas chamados ao julgamento conseguiu incriminá-lo, após 15 meses desde o início do processo.

A Procuradoria Federal do Peru pede 30 anos de prisão para Fujimori, pelo assassinato de 25 pessoas em dois massacres, cometidos em 1991 e 1992, e pelo sequestro de duas pessoas em 1992.

"Estou tranquilo porque sou acusado por algo que a história terminará reconhecendo (que é falso), a história me reconhecerá como o presidente que devolveu a paz e a tranquilidade", afirmou. EFE mmr/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.