Fronteira virtual de US$ 20 milhões será substituída nos EUA

TUCSON, Arizona - O governo quer substituir sua fronteira virtual na divisa entre o México e o Estado do Arizona por novas torres, radares, câmeras e programas de computador anulando o sistema que custou US$ 20 milhões por ser ineficiente, disseram as autoridades.

AP |

A medida acontece dois meses depois do Secretário de Segurança Nacional Michael Chertoff ter aceitado oficialmente a criação da fronteira pela Boeing Co.

Com a decisão, agentes da Proteção da Fronteira e Alfândega reconhecem que o programa piloto para detectar imigrantes ilegais que cruzassem a fronteira não funciona bem o suficiente para ser mantido e não será usado no desenvolvimento de outras medidas de segurança.

O projeto consiste de nove torres dispostas ao longo de 45km  da fronteira, a sudeste de Tucson.

As autoridades substituirão os equipamentos antigos por cerca de 17 novas torres capazes de manter equipamentos de comunicação, câmeras ou radares a um preço não determinado.

O departamento também gastou pelo menos US$45 milhões em um programa de computador criado especificamente para que as informações coletadas sejam passadas aos agentes em campo com maior rapidez e eficiência.

Apesar do sistema atual estar em funcionamento, ele não atingiu os objetivos da Patrulha da Fronteira, disse Kelly Goo, vice-diretora do programa em Washington.

"Provavelmente não tanto quanto os agentes em campo acharam que iriam conseguir. Não atingiu as expectativa".

A fronteira virtual começou a ser usada em dezembro e as torres resultaram em mais de 3 mil prisões desde então, disse Greg Giddens, diretor executivo do programa em Washington.

    Leia tudo sobre: eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG