Fritzl não responde por seus atos, diz advogado

O advogado do austríaco que admitiu ter mantido a filha presa em cativeiro durante 24 anos e ter tido sete filhos com ela disse que seu cliente não deve ir para prisão porque é um doente mental. Em entrevista neste domingo ao jornal alemão Bild am Sonntag, Rudolf Mayer disse que Josef Fritzl, de 73 anos, deve ser enviado a uma clínica psiquiátrica, e não ao tribunal.

BBC Brasil |

"Na minha opinião, Josef Fritzl é um doente mental e, portanto, não pode responde por seus atos", disse Mayer.

"Não acredito que meu cliente deva ser enviado a uma prisão, mas a uma unidade psiquiátrica de segurança", disse o advogado.

Mayer ainda disse que se avaliação psiquiátrica encomendada pela corte não chegar a essa conclusão, ele cogita recorrer a um especialista psiquiátrico por conta própria.

Tirano
Ele acrescentou que "não está defendendo um monstro, mas um ser humano, mesmo que para algumas pessoas isso seja difícil de acreditar".

Em uma entrevista concedida à agência Associated Press, a cunhada de Fritzl, identificada como Christine R., descreveu o marido da irmã como "tirano".

Ela disse se lembrar que ele foi condenado por estupro em 1967 e teria passado um ano e meio preso.

A polícia austríaca não comentou a informação, afirmando que os registros daquela época já devem ter sido apagados.

De acordo com as leis do país, informações sobre condenações podem ser mantidas por apenas cinco anos.

Fritzl, que está preso há uma semana, confessou ter mantido a filha Elisabeth presa em um porão dentro da própria casa por mais de duas décadas.

Ele ainda admitiu ser o pai dos sete filhos que a mulher teve durante o tempo que passou em cativeiro - um deles morreu pouco depois do parto.

Três filhos foram "adotados" por Fritzl, tendo passado a morar com ele e a mulher - e avó - na parte superior da casa.

As outras três crianças, hoje com 19, 18 e 5 anos, passaram a vida no porão e viram a luz do sol pela primeira vez há uma semana.

Os crimes do austríaco vieram à tona na semana passada depois que a filha mais velha de Elisabeth, Kirsten, de 19 anos, foi internada, seriamente doente.

A jovem entrou em coma e ainda luta para sobreviver.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG