Nevascas forçam fechamento de aeroportos e de ferrovias no Reino Unido e França; na Polônia, 11 indigentes morrem pelo frio

A onda de frio que atinge a Europa causou problemas nas estradas e nos aeroportos de algumas cidades. A nevasca no Reino Unido afetou as conexões aéreas e ferroviárias do país com o resto do mundo, obrigando ao fechamento de vários aeroportos e provocando atrasos nos trens Eurostar. Na Polônia, o frio deixou pelo menos 11 indigentes mortos na noite de terça-feira, segundo o porta-voz policial Mariusz Sokolowski.

Trem passa por trilhos cobertos por neve em Croydon, na Inglaterra
AP
Trem passa por trilhos cobertos por neve em Croydon, na Inglaterra
De acordo com Sokolowski, os mendigos são alertados a evitar passar a noite fora dos abrigos refúgios, mas muitos ignoram as advertências e acabam dormindo ao ar livre sob o efeito de álcool. Na madrugada desta quarta-feira, as temperaturas ficaram em 20 graus negativos em algumas regiões da Polônia, incluindo Bialystok, no leste do país, que registrou o recorde de 26,5 graus negativos.

A onda de frio também afetou o sistema de transporte das grandes cidades polonesas, causando atrasos generalizados nas vias férreas e prejudicando o tráfego de ônibus. Em Varsóvia, trajetos de ônibus que normalmente duram 25 minutos agora chegam a demorar quatro horas, provocando caos e desespero dos viajantes.

Caos no Reino Unido

O aeroporto londrino de Gatwick, o oitavo da Europa em número de passageiros, ficará fechado até pelo menos a manhã de quinta-feira por causa dos 15 centímetros de neve acumulados nas duas pistas. As nevascas, que começaram mais cedo do que o previsto e são as mais graves em 17 anos para este período, também forçaram o fechamento do aeroporto escocês de Edimburgo durante a noite, enquanto o de London City registra atrasos e cancelamentos.

O Eurostar, a companhia de trens de alta velocidade que ligam Londres a França e Bélgica pelo túnel construído debaixo do canal da Mancha, cancelou três viagens para Bruxelas e cinco para Paris. Os cancelamentos foram motivados pela necessidade de limitar a velocidade dos trens, o que também provoca atrasos de até 90 minutos.

null A frente fria e a neve provocam transtornos nas rodovias e ferrovias nacionais desde o fim de semana, quando as primeiras nevascas foram registradas na Escócia, onde muitas escolas não abriram as portas nesta semana. As Highlands escocesas registraram a menor temperatura: 19,8 graus negativos. Os termômetros estão abaixo de zero em grande parte do país.

Transtornos na França

Na França, a neve e as baixas temperaturas provocaram na manhã desta quarta-feira o bloqueio de estradas no centro e no leste, assim como o cancelamento de 20% dos trens de alta velocidade (TGV) entre Paris e o sudeste do país. O Centro Nacional de Informação Rodoviária (CNIR) informou que em grande parte dos eixos viários está proibida a circulação de caminhões, e cerca de 10 mil deles permaneceram parados durante a noite.

A nevasca da tarde de terça-feira, que alcançou os 20 centímetros em algumas zonas, levou a companhia de ferrovias SNCF a anular de forma preventiva para esta quarta 20% dos trens de alta velocidade (TGV) entre Paris e o sudeste da França.

A Sociedade Nacional de Ferrovias (SNCF) advertiu que seus TGV teriam que reduzir sua velocidade dos 320 km/h frequentes no leste e dos 300 km/h no sudeste para 220 km/h e 160 km/h. Foram registradas na manhã desta quarta-feira temperaturas de até 22 graus abaixo de zero na região de Jura.

Pai e filho brincam na neve em Lyon, na França
AP
Pai e filho brincam na neve em Lyon, na França
Os serviços meteorológicos da França preveem que a frente que provocou nevascas durante a madrugada na região de Lyon se desloque em direção ao norte e atinja regiões como Lorena e Alsácia.

*Com EFE e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.