Frio na China mata 2 e deixa quase 60 mil desabrigados

Inverno intenso afeta 3,8 milhões de pessoas no centro e sul do país; no norte, Harbin realiza 27ª festa do gelo e neve

iG São Paulo |

Uma forte onda de frio afeta 3,8 milhões de pessoas e deixou dois mortos e quase 60 mil desabrigados em cinco regiões administrativas do sul e do centro da China, informou nesta quarta-feira o Ministério de Assuntos Civis chinês.

As Províncias de Jiangxi, Hunan, Sichuan e Guizhou e a Prefeitura de Chongqing são as áreas mais prejudicadas pelas nevadas, que destruíram 1,2 mil casas e danificaram mais de 6,6 mil, indicou o comunicado ministerial publicado no site oficial.

As nevadas na região, onde não é frequente temperaturas tão baixas no inverno, causaram perdas avaliadas em US$ 204 milhões, danificando 142,4 mil hectares de cultivos.

As duas vítimas fatais da onda de frio são um operário de estrada que foi atropelado por um automóvel que saiu da pista por causa do gelo e um motorista de ônibus que foi atacado no nordeste da China por um tigre quando tentava tirar o animal da neve.

A situação lembra o inverno de 2008, em que a pior onda de frio no sul da China em meio século paralisou os transportes e a rede energética da metade meridional do país, precisamente quando a população viajava para curtir o feriado do Ano-Novo Lunar chinês.

Festa no norte do país

Enquanto as região sul e central da China sofrem com a onda de frio, a cidade de Harbin, no norte do país, aproveita o inverno para realizar sua tradicional festa de gelo e neve. A 27ª edição do evento comemora, no horóscopo chinês, o Ano do Coelho e apresenta dezenas de esculturas.

O autor de uma das obras afirmou ter utilizado mais de 2 mil metros cúbicos de neve e ter contado com a ajuda de mais de 20 pessoas para preparar a obra durante cinco ou seis dias. "O mais difícil é enfrentar o frio, mas conseguimos superá-lo", disse Weng Donghua.

Mas não são só esculturas. Os visitantes também podem deslizar em escorregas de gelo e praticar esportes de inverno. Para os mais arrojados, existe até a possibilidade de nadar ao ar livre. Milhões de turistas chineses e de outros países são esperados na cidade neste ano. A festa vai até o início de fevereiro.

***Com EFE, AFP e BBC

    Leia tudo sobre: chinaonda de frioescultura de geloharbinneve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG