Frente social-democrata vence os Kirchner em província argentina

Uma frente social-democrata vencia neste domingo as forças da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e de seu marido, o ex-mandatário e líder peronista Néstor Kirchner (2003-2007), nas eleições na província agrícola de Catamarca (noroeste), informou a Junta Eleitoral.

AFP |

É o primeiro teste eleitoral deste ano, durante o qual será renovado parcialmente o Congresso nacional, no pleito de outubro, e o resultado, agora, está sendo muito claro a favor de uma aliança liderada pela União Cívica Radical (UCR), com 44% dos votos, contra 31% dados ao peronismo, depois de contabilizados a metade dos votos.

A Frente Cívica e Social governa o empobrecido distrito agrícola há 20 anos e teve o apoio do vice-presidente da nação, Julio Cobos, que passou à oposição ao rejeitar a política fiscal dos Kirchner, no enfrentamento com o setor agrário.

240.000 pessoas foram habilitadas a votar em 21 deputados e oito senadores provinciais, um prefeito e 52 vereadores.

"Dedico a vitória aos argentinos", disse o governador local, Eduardo Brizuela del Moral, da Frente que governa a província há 20 anos e que foi o primeiro dos aliados radicais social-democratas a afasrar-se do kircherismo.

Os Kirchner devem enfrentar este ano uma dura prova, com a renovação da metade da Câmara de Deputados e um terço do Senado; até agora ambas as Casas eram controladas pelo governismo.

Mas o casal vem atravessando uma crise de popularidade, em seguida ao prolongado conflito mantido com as lideranças agrárias que são contra o aumento dos impostos sobre as exportações, as chamadas retenções.

Apesar de pressionado, Julio Cobos havia se recusado a renunciar a vice-presidência depois de considerado traidor pelo Kirchnerismo: sua decisão de derrotar o projeto das retenções no Senado o transformou em um símbolo da classe média e dos ruralistas.

Ele havia entrado em rota de colisão com a presidente Cristina Kirchner e o ex-presidente Néstor Kirchner quando tentou ser protagonista de um consenso entre o governo e ruralistas.

bur-dm/jb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG