Freiras sequestradas no Quênia em novembro são libertadas

Roma, 19 fev (EFE).- As freiras italianas sequestradas no Quênia em novembro do ano passado, Caterina Giraudo e Maria Teresa Oliviero, foram libertadas na cidade de El Wak, no nordeste do país, perto da fronteira com a Somália, informou hoje o Ministério de Exteriores da Itália.

EFE |

As freiras, que já se encontram na embaixada italiana em Nairóbi, segundo confirmou o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, fazem parte do Movimento Contemplativo Missionário Padre de Focauld e trabalhavam no país africano com refugiados somalis há muitos anos.

As religiosas foram libertadas ontem e agora se encontram bem, informou à imprensa o embaixador italiano em Nairóbi, Pierandrea Magistrati.

Giraudo e Oliviero, de 67 e 61 anos, respectivamente, foram sequestradas em casa por um comando de 200 homens armados a bordo de cerca de 20 veículos.

O papa Bento XVI expressou hoje sua "grande alegria" pela libertação das duas freiras italianas, informou o porta-voz vaticano, Federico Lombardi.

"Há meses rezávamos para que chegasse este momento", acrescentou Lombardi, que disse que a alegria da libertação não lhes faz esquecer "a tristeza pelas pessoas que ainda seguem sequestradas em outras partes do mundo". EFE fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG