Freiras se acorrentam em Roma para protestar contra expulsão de convento

Roma, 8 jun (EFE).- Duas freiras carmelitas idosas se acorrentaram hoje em um poste de iluminação a poucos metros do Vaticano para protestarem contra sua expulsão de um convento alguns anos atrás.

EFE |

Albina Locantore, de 73 anos e ex-madre superiora do mosteiro de Santa Maria del Carmine di Camerino (leste), e Teresa Izzi, de 79 anos, permaneceram sentadas em uma cadeira e acorrentadas a um poste com vários cartazes que explicavam o protesto.

"Santidade, nos expulsaram e nos denunciaram. Vergonha!", dizia um dos cartazes que as freiras, vestidas com seus hábitos, seguravam.

Segundo as religiosas, elas deixaram o convento em 2005 por motivos de saúde e com as devidas autorizações, mas não foram aceitas de volta por uma série de acusações que consideram injustas.

Em outro dos cartazes das freiras estava escrito: "Santidade, não somos prostitutas, violentas, ladras ou doentes mentais".

O problema teria surgido em 2005 com uma inspeção eclesial ao convento que teria evidenciado várias irregularidades, entre elas a presença de um homem que ajudava as religiosas, todas de idade avançada.

No entanto, na inspeção também se descobriu que estava faltando dinheiro, e a Promotoria da cidade abriu uma investigação e mandou o homem a julgamento. EFE cr/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG