Paris, 12 abr (EFE).- O conselheiro presidencial de Defesa da França, Edouard Guillaud, anunciou hoje a captura de seis dos 12 piratas que seqüestraram o veleiro de luxo Ponant pelos agentes especiais franceses que participaram da libertação dos reféns, que ficaram mais de uma semana retidos.

Os piratas foram detidos em terra, logo após terem sido libertados os 30 reféns que estavam no navio após um acordo com seu armador.

O veleiro estava ancorado desde o último domingo em águas da Somália sob vigilância de uma embarcação da Marinha francesa na região do Golfo de Áden, onde tinha sido interceptado.

O chefe do Estado-Maior do Exército francês, Jean-Louis Georgelin, disse que também foram recuperados sacos com dinheiro, "parte do provável resgate pago", e afirmou que continuam as buscas pelo resto do grupo.

As autoridades francesas instalaram um dispositivo de vigilância em terra para perseguir os seqüestradores após o resgate da tripulação do veleiro.

Georgelin afirmou que os piratas eram ex-pescadores somalis que viviam em grupo e que se especializaram neste tipo de crime. EFE lmpg/ev/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.