Franceses identificam nova variante do vírus da Aids

Uma equipe de pesquisadores franceses identificou uma nova variante do HIV tipo 1 - o vírus responsável pela maior parte dos casos de Aids - que é geneticamente muito próxima do SIV, um vírus de imunodeficiência descoberto recentemente em gorilas.

AFP |

"A descoberta desta nova variante destaca a necessidade de se vigilar de perto o surgimento de novas variantes do HIV, especialmente na África Central, origem de todos os grupos do HIV-1", salientaram os pesquisadores, no estudo publicado neste domingo na revista Nature Medicina.

Existem dois tipos de vírus da Aids, o HIV-1, que é maioria, e o HIV-2, pouco frequente. O HIV-1, por sua vez, se divide em três grupos: M, que causou a pandemia de Aids, O e N.

A nova variante, identificada pela equipe do doutor Jean-Christophe Plantier, do Centro Nacional de Referência do Vírus da Imunodeficiência Humana, parece ser protótipo de um novo grupo de tipo HIV-1, que os pesquisadores denominaram grupo P.

O HIV-1 tem laços com o vírus da imunodeficiência de chimpanzés e, inclusive, se acredita que o SIV dos gorilas tem origem no grupo N, explicou à AFP a pesquisadora Marie Leoz.

A nova variante do HIV foi identificada em uma paciente originária de Camarões e apresentava um perfil raro. Os pesquisadores pensaram, a princípio, que tratava-se do grupo O, mas a análise completa do genoma permitiu estabelecer que era de um novo grupo.

O impacto deste novo grupo P poderá ser o mesmo produzido pelo grupo O, que representa 1% dos casos de Aids em Camarões e atinge em torno de 100 pacientes na França.

São casos raros, mas "não se pode descuidar, porque este tipo de variante representa dificuldades em matéria de diagnóstico e de terapia", destacou Leoz.

A paciente infectada pela nova variante "está bem e baseado no genoma foi possível determinar o tratamento adequado (...), ao qual respondeu muito bem", explicou Leoz.

"Duvidamos que esta seja a primeira pessoa com o grupo P, dada a sua forma de vida", disse a pesquisadora, sem revelar detalhes.

Leoz destacou que a paciente foi contaminada por outras pessoas, "certamente em Camarões, e é neste país que precisamos procurar novos casos" da variante.

A sequência genética da nova variante está no GenBank, um banco de dados acessível pela Web.

vm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG