Entre eleitores de esquerda, 53% dizem que ela deveria permanecer mais na sombra, segundo pesquisa divulgada hoje

Dois terços dos franceses estão satisfeitos com o papel desempenhado por Carla Bruni como primeira-dama e 68% deles considera que ela exerce uma influência positiva sobre seu marido, o presidente francês Nicolas Sarkozy, segundo uma pesquisa publicada nesta segunda-feira.

A enquete divulgada pela edição digital do jornal "France Soir" assinala que 66% das 957 pessoas interrogadas está contente com Carla, dois pontos percentuais a mais que o obtido em um estudo similar em junho de 2008, cinco meses após seu casamento com Sarkozy.

A primeira-dama francesa Carla Bruni ajuda o marido e presidente na França, Nicolas Sarkozy, durante visita a ilha de Martinica em 8/01/2011
Reuters
A primeira-dama francesa Carla Bruni ajuda o marido e presidente na França, Nicolas Sarkozy, durante visita a ilha de Martinica em 8/01/2011

O nível de satisfação com o novo papel da ex-modelo e cantora se eleva para 76% entre os eleitores de direita e 57% entre os simpatizantes de esquerda, enquanto em termos gerais quase sete de cada dez cidadãos acredita que ela representa bem a França no exterior.

Um total de 61% dos questionados de direita acredita que Carla renovou o papel de primeira-dama, dois pontos a mais que entre os eleitores de esquerda, dos quais 53% dizem que ela deveria permanecer mais na sombra, contra 40% dos direita, que compartilham essa opinião. A enquete realizada pela Ifop também revela que os mais satisfeitos com Carla Bruni são os maiores de 65 anos (73%), os aposentados (71%) e os simpatizantes da União por um Movimento Popular (UMP), de Sarkozy (68%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.