Francês solto após meses chega a embaixada na capital do Mali

Bamaco, 24 fev (EFE).- O refém francês Pierre Camatte, libertado na noite de ontem pela Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) após quase três meses de cativeiro, já está na embaixada francesa na capital do Mali, informaram à Agência Efe fontes das forças de segurança.

EFE |

O estado de saúde de Camatte é bom, mas ele apresenta alguns leves problemas de visão, já que, durante o sequestro, suas lentes ressecaram, disseram as mesmas fontes.

O francês foi libertado ontem, na região de Kidal, no nordeste do Mali. Por terra, ele foi levado até a cidade de Gao, onde pegou um avião fretado até Bamaco. De acordo com as fontes citadas, o ex-refém desembarcou na capital do Mali por volta da 1h (de Brasília).

Ainda não se sabe se o presidente do Mali, Amaodu Toumani Touré, receberá Camatte no Palácio Presidencial, como fez após a libertação de outros reféns europeus no norte do país, ou se o francês viajará direto para Paris.

Ontem à noite, o Governo malinês expressou em nota seu agradecimento "às pessoas que intervieram para conseguir sua libertação", assim como à "colaboração" e à "paciência" do Governo francês durante o sequestro.

O braço norte-africano da Al Qaeda havia dito que, se suas exigências não fossem atendidas até 20 de fevereiro - entre elas, a libertação de quatro presos islâmicos -, mataria o francês.

Os quatro ativistas foram soltos na segunda-feira, após terem sido julgados na quinta-feira passada por um tribunal de Bamaco que os condenou a nove meses de prisão, pena que já tinham cumprido em caráter preventivo.

Camatte, de 61 anos, foi sequestrado em um hotel de Menaka em 26 de novembro, três dias antes de três espanhóis terem sido capturados na Mauritânia e levados para o norte de Mali. EFE id/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG