Francês confessa envio de cartas com ameaças de morte a Sarkozy

PARIS (Reuters) - Um homem confessou ter enviado ameaças de mortes e balas de revólver ao presidente francês, Nicolas Sarkozy, e outros políticos, disse uma fonte da polícia nesta segunda-feira, sinalizando o final de uma longa investigação sobre o autor das misteriosas cartas. O membro de um clube de tiro no sul da França, com 51 anos e sem ficha na polícia, foi preso no domingo. A motivação exata ainda não estava clara.

Reuters |

A polícia já fizera duas rodadas de prisões, mas soltou os suspeitos sem nenhuma acusação para constrangimento das forças de segurança, que estão sob pressão para resolver o caso.

"Ele confessou e disse que agiu sozinho", disse o oficial. Segundo ele, a segunda série de interrogatórios começa nesta segunda-feira, quando a polícia perguntará sobre os motivos.

Os investigadores chegaram ao homem graças a amostras de DNA coletadas em quatro selos das cartas.

Cerca de trinta cartas, assinadas "Combatentes da Célula 34", foram recebidas por políticos ou interceptadas desde o começo do ano.

(Reportagem de Nicolas Bertin)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG