França vai manter esforços para libertar Betancourt

O chanceler Bernard Kouchner afirmou nesta quarta-feira que a França prosseguirá com os esforços para obter a libertação de Ingrid Betancourt, um dia depois do fim da missão francesa de auxílio à política franco-colombiana, que está em poder da guerrilha das Farc há seis anos.

AFP |

"As Farc rejeitaram (a missão) e, portanto, o avião voltará. O que conta é que vamos continuar de uma maneira ou outra. É preciso encontrá-la", declarou Kouchner à imprensa.

"No momento, sem o acordo das Farc para esta missão bem precisa que correspondia à urgência da situação humana e médica de Ingrid, não temos nenhuma possibilidade. Isto é o que deve ser lavado em consideração, mas não quer dizer que abandonaremos a questão, pelo contrário", insistiu.

"A manutenção da missão médica já não se justifica no momento", acrescentou o ministro francês das Relações Exteriores, em nome da França, Espanha e Suíça, os três países que integravam a missão.

"Como disse o presidente (Nicolas) Sarkozy, esta recusa é uma falta política grave, além de uma tragédia", concluiu.

pa/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG