França solta suspeitos de ameaças de morte contra Sarkozy

PARIS (Reuters) - A polícia francesa soltou todas as 11 pessoas presas há dois dias devido a ameaças de morte enviadas ao presidente Nicolas Sarkozy e outro políticos, disse neste sábado uma fonte jurídica. É a segunda vez que a polícia prendeu pessoas devido às misteriosas cartas ao presidente para depois soltar os suspeitos -- muito devido ao constrangimento dos serviços de segurança, que estão sob pressão para resolver o caso.

Reuters |

O primeiro lote de envelopes marrons contento cartuchos de 9 milímetros e cartas com ameaças como "Vocês são todos homens mortos andando" foram enviadas para Sarkozy, dois ministros, o prefeito de Bordeaux e outros políticos de centro-direita em março.

Desde então, cartas similares esporadicamente apareceram em caixas de correio de escritórios de políticos. A última, direcionada a Sarkozy, foi interceptada pelos serviços postais em Montpellier, no sudoeste da França, em agosto.

As cartas foram assinadas por um grupo desconhecido que se intitula "Lutadores da Célula 34".

As 11 pessoas presas na quinta-feira eram lojistas, ex-soldados e membros de um clube de tiro. Todos moram em vilarejos próximos a Montpellier.

A fonte judicial afirmou que um deles era um conhecido ativista político que fez campanha contra planos para a montagem de turbinas para produção de energia eólica em uma cidade próxima. O prefeito da cidade foi um dos que receberam cartas.

Entretanto, uma fonte da polícia disse que as buscas nas casas dos suspeitos não encontraram evidências convincentes.

(Reportagem de Nicolas Berthin)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG