Paris, 7 mar (EFE).- A França sedia, a partir de amanhã, uma conferência internacional sobre o acesso à energia nuclear de uso civil, considerada uma alternativa aos combustíveis fósseis e um mercado a ser desenvolvido.

Representantes de 65 países, entre eles Brasil, China, Estados Unidos, Rússia e Israel, marcarão presença no encontro, que não terá a participação do Irã.

A conferência acontecerá na sede da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e vai ser aberta pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Já o diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o japonês Yukiya Amano, conduzirá os colóquios e as mesas-redondas do evento, que vai reunir cerca de 700 pessoas em torno de debates sobre as perspectivas de desenvolvimento da energia atômica, seu financiamento e seu uso responsável.

Do encontro de dois dias, que será encerrado pelo primeiro-ministro da França, François Fillon, participarão ainda Estados que recentemente tiveram acesso a esse tipo de energia, como a Jordânia, que tem reservas de urânio, mas não de petróleo ou gás.

EFE jaf/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.