França rejeita acusação de Fidel de que faz 'holocausto racial'

Para Chancelaria, líder cubano mostra desconhecimento histórico ao usar essa palavra para referir-se à deportação de ciganos

AFP |

A França classificou de "inaceitável" neste sábado a acusação feita na sexta-feira por Fidel Castro de que Paris está cometendo uma espécie de "holocausto racial" ao expulsar do país centenas de ciganos , indicou à AFP o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores francês.

"Essa utilização do holocausto por parte de Castro demonstra sua ignorância da História e seu desprezo por suas vítimas. Semelhantes declarações são inaceitáveis", declarou Bernard Valero, que participa de uma reunião de chefes da diplomacia da União Europeia (UE) em Bruxelas.

"Que Fidel Castro se interesse finalmente pelos direitos humanos, isso sim é verdadeiramente revolucionário", afirmou.

Na sexta-feira, o ex-ditador cubano disse que os ciganos residentes na França estão sendo "vítimas da crueldade da extrema direita francesa", dizendo que a expulsão de centenas deles desde o início do ano equivale a uma "espécie de holocausto racial".

A repatriação de ciganos para Romênia e Bulgária, ordenada pelo presidente francês Nicolas Sarkozy, provocou fortes protestos e foi alvo de reprovação em toda a Europa, incluindo o Parlamento Europeu .

    Leia tudo sobre: FrançaCubaFidel Castrodeportaçõesciganosholocausto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG