Paris, 18 fev (EFE).- A França pediu hoje explicações à embaixada de Israel em Paris sobre as circunstâncias da utilização de um falso passaporte francês no assassinato de um membro do Hamas em Dubai, em 20 de janeiro passado.

Um porta-voz do Ministério de Exteriores declarou que a diplomacia francesa coopera e está "em contato regular com as autoridades de Dubai sobre os avanços na investigação".

Trata-se de Mahmoud al-Mabhouh, dirigente do grupo palestino Hamas, assassinado em um hotel de Dubai em 20 de janeiro passado. Em razão do ocorrido, a Polícia de Dubai emitiu uma ordem de busca e prisão contra 11 pessoas, cujos passaportes falsos incluíam três irlandeses, seis britânicos, um alemão e um francês.

"Os elementos em nosso poder nos levaram à conclusão de que o passaporte em questão é falso", acrescentou o Ministério de Exteriores francês. Além da França, o Reino Unido e a Irlanda também investigam o caso com Israel.

O chefe da Polícia de Dubai, o general Dahi Jalfan Tamin, assegurou que suas investigações revelam que o serviço secreto israelense do Mossad é o responsável do assassinato de Mabhouh. EFE jaf/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.