México, 6 mai (EFE).- A França rejeitou hoje que as medidas de saúde especiais contra a gripe suína estabelecidas em uma área vigiada do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, sejam discriminatórias para os mexicanos.

"Quando os passageiros chegam (do México), mais da metade franceses, vão para um lugar adequado para ter uma entrevista com médicos e preencher um formulário", explicou hoje o embaixador francês no México, Daniel Parfait, em entrevista à emissora "MVS".

"Nós adotamos essa fórmula para evitar todo tipo de quarentena, mas, obviamente, também para saber onde as pessoas estão e poder nos comunicar com elas se necessários", acrescentou.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

Duas companhias aéreas, Air France e Aeroméxico, fazem voos diariamente entre a capital mexicana e esse aeroporto, situado no norte de Paris.

As autoridades francesas, que propuseram sem sucesso no final de abril ao resto da União Europeia (UE) a suspensão de voos com o México, justificaram o novo dispositivo alegando que a gripe alcançou o nível 5 na escala de alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS). EFE act/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.