França não protegeu bem a tocha olímpica, afirma imprensa oficial chinesa

Um jornal oficial chinês acusou a França de não ter protegido adequadamente a tocha olímpica nesta segunda-feira, durante sua passagem por Paris, e destacou que os incidentes mostraram a incompetência da polícia da capital francesa.

AFP |

"A França não protegeu bem a chama sagrada", diz a manchete do Global Times nesta terça-feira.

"Um grupo de manifestantes arrogantes e insolentes bloqueou arbitrariamente o percurso da tocha olímpica, o que levou à suspensão temporária das atividades em várias ocasiões", afirma o jornal, especializado em questões internacionais.

Para o Global Times, os incidentes mostraram "a incompetência da polícia de Paris".

"O que ocorreu no dia 7 em Paris pode cair mal para os chineses, mas é principalmente uma vergonha para Paris e a França", destaca o jornal, uma publicação ligada ao Diário do Povo, órgão do Partido Comunista chinês.

A TV estatal chinesa salientou o "sucesso" da passagem da tocha olímpica por Paris e atribuiu os incidentes a uma "minoria de separatistas tibetanos".

Já o Notícias de Pequim admite em sua primeira página que a chama olímpica teve de ser apagada em Paris "devido a perturbações" provocadas "por uma minoria de separatistas tibetanos".

Após uma série de incidentes, os organizadores da passagem da tocha por Paris jogaram a toalha e decidiram reduzir seu percurso, transportando a chama de ônibus até seu local de chegada, o estádio Charléty, no sul da capital.

Militantes tentaram várias vezes apagar a chama durante o percurso, mas foram rechaçados pelas forças da ordem. No entanto, os organizadores tiveram que recorrer diversas vezes ao ônibus para transportar a tocha.

Pelo menos 20 pessoas foram detidas durante os incidentes na capital francesa.

frb/yw/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG