França não aumentará presença militar no Afeganistão

Paris, 21 jan (EFE).- O ministro da Defesa francês, Hervé Morin, afirmou hoje que não aumentará seu contingente militar no Afeganistão, por já ter feito um esforço considerável nos dois últimos anos, enquanto anunciou uma redução de sua presença na África.

EFE |

"Fizemos os esforços que deveríamos e não cogitamos por enquanto o envio de reforços suplementares" ao Afeganistão, assegurou Morin à rádio "Europe 1", perguntado sobre a resposta francesa a uma eventual pedido do novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para enviar mais soldados a esse país.

O ministro lembrou que nos dois últimos anos França enviou 200 soldados para treinar o Exército afegão e reforçou seu contingente com 700 soldados suplementares no ano passado.

No total, a França conta com 2.700 homens no Afeganistão, dos 12.900 que tem pelo mundo.

Morin ressaltou que o conflito do Afeganistão deve ser abordado "de forma global, não só militar", pelo que pediu ao presidente, Hamid Karzai, que dialogue com todas as partes, inclusive os talibãs.

Por outro lado, Morin afirmou que a França reduzirá sua presença militar na África, em particular na Costa do Marfim, embora não tenha fornecido dados precisos.

A França conta atualmente com 3 mil soldados no Chade e outros tantos na República Centro-Africana, enquanto na Costa do Marfim o contingente é de 2 mil.

Além disso, 2 mil militares franceses estão presentes no Kosovo e 150 na Bósnia-Herzegóvina. EFE lmpg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG