França julga 27 por sequestro e morte de judeu em 2006

Vinte e sete pessoas estão sendo julgadas nesta quarta-feira na capital da França, Paris, pelo sequestro e morte de um jovem judeu, um crime que envolveu tortura e chocou os franceses em 2006. A gangue composta por 17 homens e 10 mulheres é conhecida como Os Bárbaros e foi acusada de sequestrar e torturar Ilan Halimi, de 23 anos.

BBC Brasil |

O jovem foi capturado e torturado brutalmente por mais de três semanas antes de ser encontrado nu e amarrado a uma árvore perto de uma linha ferroviária, nos subúrbios de Paris.

Halimi tinha sido esfaqueado e seus sequestradores atearam fogo a seu corpo. Ele morreu a caminho do hospital.

A morte de Halimi levou a uma série de manifestações contra o antissemitismo na França.

O suposto líder da gangue, Youssouf Fofana, é acusado de assassinato e, se for considerado culpado, pode ser condenado à prisão perpétua.

Instruções
Fofana teria dado as instruções aos integrantes da gangue para sequestrar judeus e manter estes jovens como reféns até o pagamento de um resgate.

Inicialmente o suposto líder do grupo admitiu o assassinato de Halimi, mas desde então mudou o depoimento e se declarou inocente. Os outros envolvidos receberam acusações mais leves.

Ilan Halimi, que trabalhava em uma loja de telefones celulares, teria sido atraído por um integrante do grupo, para um apartamento no subúrbio de Paris, onde foi atacado e drogado.

Durante seu cativeiro, a família recebeu imagens e gravações em vídeo das torturas infligidas a Halimi.

O então presidente francês Jacques Chirac prometeu aos pais de Halimi que iniciaria uma investigação completa do caso.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG