Preso desde quarta-feira, Abdelkader Merah foi transferido para Paris. Mãe do autor dos ataques é liberada

Dois dias depois da morte pela polícia de Mohamed Merah , autor confesso de três ataques fatais no sudoeste da França , seu irmão Abdelkader – que se declarou orgulhoso dos atos do irmão mais novo – se encontra no centro das investigações do caso.

Galeria de fotos:
Veja imagens do terror na França

Abdelkader Merah, de 29 anos, e sua companheira, presos desde quarta-feira, foram levados neste sábado da delegacia central de Toulouse (sudoeste) para a sede da Subdireção Antiterrorista (SDAT), perto de Paris.

Abdelkader estava presente no momento do roubo da poderosa scooter que mais tarde serviria a seu irmão para assassinar três crianças e um professor judeus, e três paraquedistas em um período de oito dias.

Tanto ele como a companheira foram detidos na quarta-feira a 40 km ao sul de Toulouse, no mesmo momento em que a polícia de elite iniciava um cerco de mais de 30 horas ante o domicílio Mohamed, que acabou com a morte do francês de origem argelina.

Já a mãe de Mohamed Merah, também presa na quarta-feira, foi libertada na noite de sexta-feira, segundo uma fonte judicial. De acordo com seu advogado, ela teria se declarado "destruída por um sentimento de culpa e remorso".

"Ela fica se perguntando se poderia ter evitado os fatos", declarou Jean-Yves Gougnaud, defensor de Zoulhika Aziri. "Estes três dias de detenção preventiva fora difíceis, mas ela cooperou. Ela se pergunta por que seu filho fez isso. Ela está preocupada, tem medo das represálias e, por isso, por ora não voltará para casa", acrescentou.

Mohamed Merah, de 23 anos, estava sozinho no momento das matanças, mas os investigadores querem saber quem teria o ajudado com logística e finanças. Apesar de não ter rendas, ele estava fortemente armado.

Abdelkader, considerado mais comprometido com o islamismo, declarou aos policiais que não estava a par dos projetos criminosos de Mohamed Merah.

Na quarta-feira, o procurador de Paris, François Molinidsse que Abdelkader Merah foi investigado em 2007 por envolvimento numa trama de envio de jihadistas (combatentes da Jihad, guerra santa) para o Iraque, mas não foi indiciado pelo caso.

O ministro do Interior, Claude Guéant, descreveu Mohamed Merah como um pequeno delinquente radicalizado "num grupo de ideologia salafista" de Toulouse, apesar deste grupo não ser suspeito de tramar ações criminosas.

Detido, irmão de autor de ataques na França é levado para Paris por policiais encapuzados
AP
Detido, irmão de autor de ataques na França é levado para Paris por policiais encapuzados

Sarkozy reúne governo
O presidente francês Nicolas Sarkozy se reuniu neste sábado no Palácio do Eliseu, sua residência oficial, com o primeiro-ministro e vários membros de seu governo, assim como com chefes de polícia para tratar de questões de segurança.

Logo a pós a morte de Merah, Sarkozy anunciou que deseja instituir medidas penais para reprimir a apologia ao terrorismo ou o apelo ao ódio e à violência na internet, em viagens ou nas prisões.

Além disso, atuação policial na operação que acabou com a morte de Merah foi amplamente questionada na França. Há quem garanta que era possível prender o criminoso vivo.

*Com EFE e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.