França indenizará ex-ministro em 285 milhões de euros

Paris, 28 jul (EFE).- O consórcio gestor da dívida do banco Crédit Lyonnais (CDR) não recorrerá da sentença do último dia 7, que obriga o Estado francês a pagar 285 milhões de euros ao ex-ministro socialista Bernard Tapie pela venda da marca Adidas, anunciou hoje o Ministério da Economia.

EFE |

O antigo empresário e ex-presidente do clube de futebol Olympique de Marselha expressou sua satisfação pela decisão, que encerra definitivamente o capítulo jurídico aberto há 15 anos, segundo declarou à edição digital da revista "Le Point".

Tapie prometeu divulgar a quantia líquida que finalmente cobrará e que calcula entre 20 e 50 milhões de euros, informaram seus advogados, Maurice Lantourne e Jean-Paul Petreschi.

O Partido Socialista exigiu a criação de uma comissão de inquérito parlamentar sobre a eventual intervenção nesta decisão do chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy.

No último dia 7, um tribunal arbitral condenou o CDR a pagar 285 milhões de euros a Tapie, decisão da qual a empresa poderia ter recorrido.

A ministra de Economia francesa, Christine Lagarde, desmentiu hoje toda intervenção presidencial e lembrou que o Estado já havia recorrido antes a um tribunal arbitral sobre o caso sem que ninguém criticasse.

Tapie denunciou há 15 anos ter sido privado ilegalmente do lucro obtido em 1993 e 1994 com a parcela do grupo Adidas que ele comprou em 1990 e cedeu depois parcialmente ao Crédit Lyonnais em 1992. EFE lg/rb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG