França impõe condições para receber desertor das Farc

Paris, 27 out (EFE).- A França anunciou hoje que acolherá sob certas condições o guerrilheiro colombiano que desertou das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ajudou na fuga do parlamentar Óscar Lizcano, que permaneceu oito anos em poder da guerrilha.

EFE |

Fontes da Presidência francesa disseram à Agência Efe que o presidente Nicolas Sarkozy deu seu sinal verde para que o guerrilheiro fosse recebido na França, mas ressaltou que ainda é preciso determinar o status a ser dado a ele.

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, anunciou que permitiria que o rebelde vivesse em liberdade no estrangeiro, de acordo com uma oferta feita pelo Governo em prol dos membros das Farc que deixassem a guerrilha.

Uribe assegurou, além disso, que entrou em contato com as autoridades francesas, que acordaram acolher o desertor.

"Falei com o Governo da França, através de seu embaixador, e ele nos disse que aceita ter 'Isaza' na França", ratificou o presidente colombiano, que compareceu ontem junto com o guerrilheiro perante a imprensa.

Após a libertação em julho passado de Ingrid Betancourt, que tem nacionalidade francesa, o chanceler da França deixou clara a disposição de seu país em acolher desertores das Farc.

O Governo da França frisou que a oferta de Sarkozy de acolher todos os guerrilheiros das Farc que deixem as armas contribui para favorecer a paz na Colômbia e ajuda a libertar reféns. EFE lmpg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG