ISSY-LES-MOULINEAUX, França (Reuters) - Quarenta e sete adolescentes que participavam de um curso de línguas perto de Paris foram diagnosticados com o vírus H1N1 mas não estão em perigo, disseram autoridades francesas nesta quarta-feira. Os estudantes, entre eles espanhóis, britânicos, norte-americanos e um russo, estavam entre os 150 adolescentes que participavam do curso.

"Na segunda-feira tivemos um número de jovens que mostraram sintomas da gripe", disse Henri Welschinger, diretor da escola St. Nicolas. "O médico achou que deveríamos investigar. Nesta manhã foi confirmado ser o vírus H1N1."

Outros 17 casos foram diagnosticados em outra escola perto de Paris, onde adolescentes italianos participavam de um curso de línguas, disseram autoridades locais.

Cerca de 800 casos prováveis e confirmados foram diagnosticados na França até quarta-feira, quase 200 a mais do que na semana passada, mas até agora foram registrados apenas seis casos graves e nenhuma morte.

A França adquiriu 94 milhões de doses de vacina contra a doença mas autoridades disseram que o risco é limitado. A ministra da Saúde, Roselyne Bachelot, disse que a gravidade do vírus segue "moderada".

O Ministério da Saúde divulgou novas medidas nesta quarta-feira, nas quais pacientes devem consultar seus médicos habituais em vez de irem a hospitais, que devem ser reservados para casos mais graves.

(Reportagem de Antony Paone e Gerard Bon)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.