França diz já ter gasto 10 mi de euros para soltar jornalistas no Afeganistão

Paris - A França já gastou mais de 10 milhões de euros para conseguir a libertação de dois jornalistas franceses sequestrados no fim do ano passado no Afeganistão, disse neste domingo o chefe das Forças Armadas do país, Jean-Louis Georgelin.

EFE |

Em declarações à emissora "Europe 1", o oficial disse que a revelação da soma deveria ser considerada "um apelo à responsabilidade de todos" em relação ao risco que os jornalistas correm no exterior.

"Sem colocar em questão a liberdade de expressão e de imprensa", Georgelin pediu aos jornalistas que "mostrem responsabilidade e discernimento".

Em 30 de dezembro do ano passado, dois repórteres da TV estatal "France 3" foram sequestrados no Vale Kapisa, onde faziam uma reportagem sobre a reconstrução do Afeganistão.

Há algumas semanas, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, criticou a "imprudência" dos dois jornalistas, que várias vezes foram advertidos dos riscos de circular pela região.

Georgelin comparou os mais de 10 milhões de euros gastos para libertar os repórteres com os 870 milhões que a França dedica a suas missões militares fora do país.

O chefe das Forças Armadas francesas confirmou que os dois jornalistas sequestrados "estão vivos". Ele lembrou ainda que os sequestradores divulgaram um vídeo há poucos dias.

"Em operações deste tipo, quanto menos se falar é melhor", acrescentou.

Leia mais sobre: jornalistas sequestrados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG