França desmente ter pagado as Farc em 2003 pela libertação de Betancourt

Paris desmentiu formalmente nesta quarta-feira a informação de um canal de televisão colombiano, segundo a qual o enviado francês Noel Saez teria pagado uma soma em dinheiro aos membros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em 2003, para obter a libertação da ex-refém franco-colombiana Ingrid Betancourt.

AFP |

"O ministério das Relações Exteriores e Européias desmente formalmente as declarações de uma televisão colombiana segundo as quais o enviado francês, Noel Saez, teria entregado uma soma em dinheiro a membros ou supostos membros das Farc, em 2003, para obter a libertação de Ingrid Betancourt", destacou um comunicado divulgado nesta quarta-feira.

O ministério destacou também que os enviados dos países mediadores no conflito (Espanha, França e Suíça) trabalharam com a concordância das autoridades colombianas, embora tenham constatado que as autoridades colombianas decidiram colocar um ponto final neste mecanismo.

Segundo a nota, a decisão "não impedirá o desenvolvimento de relações bilaterais com a Colômbia", objetivo reafirmado durante o encontro do presidente Alvaro Uribe e o chanceler francês Bernard Kouchner, em 3 de julho em Bogotá.

Segundo uma informação divulgada segunda-feira pela televisão colombiana RCN, citando um email do computador do ex-número dois das Farc, Raúl Reyes, morto pelo exército colombiano, os franceses foram vistos tentando pagar pela libertação de Ingrid Betancourt.

O email de Reyes, que teria sido enviado ao então líder histórico das Farc, Manuel Marulanda, relata esta situação, da qual teria se inteirado por Noel Saez, o delegado francês.

O noticiário colombiano lembrou que 15 dias antes da data do email de Reyes enviado a Marulanda (28 de julho de 2003), um avião militar francês aterrissou no Brasil na fronteira com a Colômbia à espera de Betancourt.

bur/feff/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG