França considera inaceitável que cardeal vincule pedofilia a homossexualidade

Paris, 14 abr (EFE).- O Governo francês considerou hoje inaceitável que se vincule pedofilia com homossexualidade, como fez na segunda-feira o secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone.

EFE |

"É uma vinculação inaceitável que nós condenamos", declarou à imprensa o porta-voz do Ministério de Exteriores da França, Bernard Valero, em relação às palavras do cardeal.

Na segunda-feira, Bertone descartou que exista relação entre a pedofilia e o celibato ao qual estão submetidos os sacerdotes.

Segundo ele, a pedofilia tem a ver com a homossexualidade.

"Muitos psicólogos e psiquiatras demonstraram que não há relação entre celibato e pedofilia. Contudo, muitos outros demonstraram e me disseram recentemente que há relação entre homossexualidade e pedofilia", havia dito o número dois do Vaticano.

Por causa destas declarações, o porta-voz de Exteriores francês ressaltou que a França mantém o firme compromisso na luta contra as discriminações e os preconceitos ligados à orientação sexual e à identidade de gênero.

Segundo Valero, esse compromisso se traduz em ações concretas, como a organização de um congresso mundial no ano passado centrado nessa questão ou a recente criação de Fundos de apoio destinados a financiar os projetos de luta contra as violações dos direitos humanos vinculadas à orientação sexual.

Segundo ele, no próximo 17 de maio, coincidindo com a celebração do Dia Internacional de Combate à Homofobia, será o momento de lembrar a necessidade de lutar contra os preconceitos e as violações de direitos em relação à orientação ou identidade sexual. EFE pi/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG