Paris, 21 set (EFE).- A França condenou hoje a intolerância dos atuais dirigentes iranianos, após as declarações do líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, nas quais pedia para lutar contra o câncer sionista que corrói o mundo islâmico.

"Estas declarações são profundamente surpreendentes e as condenamos com a maior firmeza", disse um porta-voz do Ministério de Exteriores francês.

Precisou que as palavras de Khamenei "se unem às declarações carregadas de ódio de Mahmoud Ahmadinejad, das quais hoje diz estar orgulhoso", em referência ao presidente iraniano.

"Estas declarações refletem a intolerância dos dirigentes atuais do Irã", acrescentou o porta-voz, acrescentando que "é um dia triste para o povo iraniano, que sabemos que não compartilha esta atitude".

Em discurso emitido no domingo, por ocasião do dia de apoio ao povo palestino, Khamenei denunciou "o câncer destruidor sionista provocado pelos ocupantes e pelas potências opressoras, que corrói a nação islâmica".

A França condenou também na sexta-feira passada as declarações antiisraelenses de Ahmadinejad, feitas às vésperas da Assembleia Geral da ONU, na qual diversas associações francesas pediram boicote do presidente iraniano. EFE lmpg/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.