França condena decisão israelense de construir novas casas em Jerusalém

Paris, 10 jul (EFE).- A França condenou hoje a decisão de Israel de lançar uma licitação para a construção de 920 casas na colônia judaica de Har Homa, no sul de Jerusalém, e pediu que renuncie a esta medida, porque contribui para debilitar a credibilidade do processo diplomático em curso.

EFE |

"A continuação da colonização é um obstáculo para a paz" com os palestinos, afirmou o Ministério de Exteriores da França.

A França pediu que as autoridades israelenses se abstenham de toda "ação unilateral" que possa prejulgar o estatuto final dos territórios palestinos, em particular em relação a Jerusalém.

Paris lembrou que a exigência da interrupção "completa" das atividades israelenses de colonização em toda Cisjordânia, incluindo Jerusalém, está inscrito no Mapa do Caminho que Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP) se comprometeram a respeitar na conferência de paz realizada em Annapolis (EUA), em novembro do ano passado.

No próximo domingo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, se reunirá com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e com o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, no Palácio do Eliseu.

O encontro de Sarkozy, atual presidente da União Européia, com os dois dirigentes acontecerá poucas horas antes da cúpula euro-mediterrânea.

A Cúpula, que reunirá Israel e países do Oriente Médio e do Magrebe, junto com os europeus, lançará o projeto de União pelo Mediterrâneo, impulsionado por Sarkozy. EFE al/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG