França aposta em ação coordenada da UE para receber presos de Guantánamo

Paris, 24 dez (EFE).- A França afirmou hoje que a amparada na Europa de presos da base militar americana de Guantánamo após a posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, deve ser objeto de uma coordenação entre europeus.

EFE |

Um porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores francês indicou que o possível assentamento de alguns dos detidos de Guantánamo na Europa deve ser objeto de "consultas" por parte dos países europeus, que precisam dar uma "resposta coordenada".

O porta-voz lembrou que a França tinha pedido o fechamento da prisão americana na base militar em Cuba, devido ao limbo jurídico em que se encontra, e felicitou que Obama tenha anunciado sua vontade de encerrá-la.

O jornal "The Washington Post" revelou ontem que alguns Governos europeus estudavam receber alguns dos detidos, por considerar que, se voltassem a seus países de origem, poderiam ser torturados.

As autoridades alemãs precisaram que estudavam aceitar algumas destas pessoas em seu território, mas só depois de George W. Bush deixar a Presidência dos Estados Unidos.

No início do mês, Portugal também se tinha declarado disposto a acolher estes presos e tinha incentivado outros países europeus a fazer o mesmo. EFE ac/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG