França alega que EUA devem decidir se Espanha pode ir à cúpula financeira

Paris, 31 out (EFE).- A Presidência da França reiterou hoje seu apoio para que a Espanha esteja na cúpula financeira em Washington, mas reconheceu que corresponde aos Estados Unidos fazer o convite e se negou a comentar a possibilidade de ceder ao presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, uma das duas vagas francesas.

EFE |

Fontes do Palácio do Eliseu destacaram à Agência Efe que "são os americanos os anfitriões" e, portanto, "corresponde a eles" convidar ou não à Espanha para a cúpula de 15 de setembro para a reforma do sistema financeiro internacional.

No entanto, as fontes reiteraram que, como tinha dito o presidente francês, Nicolas Sarkozy, no último dia 22, são favoráveis a que a Espanha esteja na reunião.

Não quiseram comentar, em qualquer caso, a informação publicada hoje pelo jornal "Le Figaro", segundo a qual Sarkozy estuda a possibilidade de utilizar a dupla representação que terá na cúpula, presidente da União Européia (UE) e da França, para ceder esta última vaga a Zapatero.

Nesse caso, o chefe de Estado francês iria a Washington com o convite dirigido à Presidência da UE, enquanto Zapatero usaria o dirigido à França, enquanto país-membro do G7.

Segundo o "Figaro", Sarkozy - que "se dá muito bem" com o presidente do Governo espanhol e considera "um erro" não convidá-lo à conferência - conta com o sinal verde do primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, para ceder à Espanha um dos convites da França. EFE ac/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG