Fragata portuguesa impede ataque pirata no litoral da Somália

Lisboa, 22 jun (EFE).- Uma fragata portuguesa que atua no litoral da Somália impediu hoje um ataque de piratas a um navio mercante de Cingapura, mas libertou os piratas, depois que um pelotão de fuzileiros abordou o barco e tomou o armamento que levavam.

EFE |

A agência portuguesa "Lusa" informou que o navio português "Corte-Real", que já enfrentou várias vezes outros ataques de piratas, socorreu o "Maersk Phoenix", de Cingapura, depois de receber uma chamada de auxílio de sua tripulação.

A fragata portuguesa estava a quatro milhas de distância e espantou os piratas, que tentavam capturar o navio em uma embarcação com dois potentes motores.

O "Corte-Real" fez vários disparos de advertência à embarcação pirata, cujos oito tripulantes tentaram fugir, até que foram intimidados pelo navio português.

O barco foi abordado sem resistência por um pelotão de infantes da marinha portugueses, que encontrou quatro fuzis russos AK47, uma lança-granadas, três granadas, dois pacotes de explosivos, duas grandes escadas metálicas de seis metros de comprimento e 26 recipientes de combustível.

Depois de identificar os piratas e requisitar as armas, os militares portugueses libertaram os piratas e continuaram seus trabalhos de patrulha e escolta de navios, em coordenação com outras forças navais dos países da Otan. EFE ecs/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG