Fracasso do SPD diminui chances de vice-chanceler alemão liderar partido

Berlim, 29 set (EFE).- O ainda vice-chanceler Frank-Walter Steinmeier se apresentará hoje à eleição como novo chefe do grupo parlamentar social-democrata, mas, após o desastre eleitoral sofrido por seu partido nas eleições do domingo, parece cada vez menos provável que possa assumir também a chefia da formação.

EFE |

O baque histórico do Partido Social-Democrata Alemão (SPD, na sigla em alemão), que teve apenas 23% dos votos, abriu uma nova fissura na formação política mais antiga da Alemanha e são poucos os que acreditam que Steinmeier possa tirá-la da crise.

O porta-voz da ala mais conservadora do SPD, Johannes Kahrs, se mostrou nesta terça-feira abertamente contra uma dupla função de Steinmeier, como chefe do grupo e do partido.

"Não se pode pedir a ninguém que assuma estas duas tarefas", disse Kahrs, em declarações à emissora de rádio "Deutschlandfunk", em alusão ao enorme desafio de renovação programática e pessoal que o partido enfrenta após o fracasso de domingo.

O integrante da ala esquerda do partido Ottmar Schreiner também se mostrou partidário de separar as funções.

"Acho que tem mais sentido uma solução com dois (líderes). Temos uma série de figuras jovens que estão convocadas para assumir postos de responsabilidade", disse Schreiner, em declarações à rede de televisão pública "ARD".

"Neste momento, o SPD tem muitas tarefas diante de si e é muito mais difícil se forem assumidas por uma pessoa e não duas", disse Schriener.

Nem Schreiner nem Kahrs quiseram citar nomes de candidatos concretos, mas, nos círculos políticos, dois nomes já foram apontados como potenciais presidentes uma vez que o atual líder do partido, Franz Müntefering, deixar o cargo no congresso ordinário em novembro: o do ministro do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, e o do prefeito-governador de Berlim, Klaus Wowereit. EFE ih/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG